307212-gestao-horizontal-entenda-o-que-e-e-quais-os-beneficios
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Gestão horizontal: entenda o que é e quais os benefícios

A gestão vertical é um dos modelos mais adotados pelas empresas. Nela, há uma hierarquia de cargos com as suas devidas atribuições (por exemplo: auxiliar, assistente, analista, coordenador, líder e dono da empresa). No entanto, uma tendência cada vez maior nas empresas é a gestão horizontal.

A gestão horizontal deixa de lado a hierarquia de cargos, adotando uma visão de que todos os funcionários são responsáveis pelos resultados da companhia. Sendo assim, não há uma cadeia de comando ou um organograma fixo (como existe na gestão vertical).

Vamos aprender mais sobre essa técnica e refletir se é uma boa alternativa para a sua empresa? Continue a leitura e aprenda tudo sobre o assunto agora mesmo!

Veja quais são os principais pilares da gestão horizontal

Dois bons exemplos de empresas que trabalham com a gestão horizontal são a Netflix e o Google, que adotam esse tipo de gestão para coordenar a sua equipe.

A ideia é garantir a total satisfação dos funcionários e, consequentemente, entregar a melhor experiência para o público. Assim, ele se torna um cliente fiel e promotor dos negócios.

No entanto, para que a sua empresa invista na gestão horizontal é preciso considerar que deve haver muito diálogo e autonomia na equipe — aliás, esses são os principais pilares para que a técnica dê certo dentro da sua organização. Continue a leitura e aprenda mais sobre o assunto!

Diálogo: a porta de entrada da gestão horizontal

A empresa precisa proporcionar diversos canais de comunicação para que todos os funcionários estejam alinhados e “na mesma página”. Portanto, é essencial investir em reuniões diárias para conversar sobre as pendências, resolver problemas e apresentar os resultados.

Vale ressaltar que esse modelo de gestão deve ser baseado no coletivo. Afinal, se cada funcionário tomar uma decisão de forma isolada, pode acarretar diversos prejuízos para os negócios.

Autonomia: o foco da gestão horizontal

A empresa precisa proporcionar total autonomia para o funcionário desempenhar as suas atividades e tomar as melhores decisões. Afinal, no modelo horizontal não há um controle de cargos, por isso, é preciso proporcionar flexibilidade ao colaborador para que ele conduza a empresa rumo ao sucesso.

Para isso, investir em cursos e treinamentos é fundamental para ter a certeza de que o funcionário tomará a melhor decisão, baseada em dados, realidade do negócio, mercado, clientes e muita estratégia. Sendo assim, desenvolva habilidades de autonomia no seu colaborador.

Confira quais são os benefícios desse modelo de gestão

Convenhamos: é muito fácil ouvir as pessoas reclamando dos seus superiores, você concorda? Seja em um transporte coletivo ou até mesmo nos tradicionais almoços de família, há sempre uma certa insatisfação com os chefes.

Então, um dos principais benefícios de investir na gestão horizontal é que isso não acontece! Sendo assim, os funcionários se sentem mais motivados porque percebem que a empresa confia e investe no seu poder de decisão.

Além disso, a empresa tem a vantagem de não precisar pagar altos salários para um supervisor avaliar o desempenho do time. A empresa também mantém os colaboradores mais interessados em aprender e desenvolver as suas principais habilidades.

Ao ter uma equipe versátil, as decisões são tomadas com mais rapidez, evitando que um problema demore dez dias para ser resolvido. Isso geralmente acontece em uma gestão vertical, afinal, antes de decidir é preciso a opinião do analista, coordenador, dono da empresa e muito mais.

Avalie em quais situações a gestão horizontal pode ser aplicada

Vale ressaltar que, apesar de ser uma tendência, nem todas as empresas têm estrutura para criar uma gestão horizontal do dia para a noite. Afinal, cada uma tem as suas peculiaridades e é preciso avaliar a cultura organizacional.

No entanto, com uma mudança de rotina e de comportamento, todas as empresas podem desenvolver a cultura horizontal. Afinal, quando a empresa investe na emancipação, os processos internos são mais eficazes, resultando em consequências positivas para os clientes e todo o ambiente externo.

Aprenda como aplicar o modelo de gestão horizontal na empresa do leitor

Agora que você aprendeu o que é e os principais benefícios de investir na gestão horizontal, vamos conferir como aplicá-la?

Invista na capacitação do time interno

Para que os seus funcionários tomem decisões estratégicas é preciso que eles estejam bem preparados. Afinal, se eles precisam resolver um problema é necessário que estejam atualizados com a realidade do negócio, com as tendências, ter conhecimentos técnicos e ótimas habilidades (comunicação, responsabilidade, ética, respeito, transparência e muito mais).

Sendo assim, investir em cursos e treinamentos constantes é o primeiro segredo para o sucesso da gestão horizontal. Isso porque o funcionário só estará confiante para decidir uma ação importante se tiver uma boa estrutura e base por trás disso.

Aliás, se o seu funcionário tomar a decisão errada, o rumo e lucratividade dos negócios podem ser afetados negativamente. Por isso, o primeiro passo é criar uma boa estrutura educacional com treinamentos e oferecendo a qualificação necessária.

Forneça mais autonomia e flexibilidade aos colaboradores

Os funcionários precisam ter autonomia e flexibilidade para tomar decisões. De nada vai adiantar a empresa não confiar no poder de escolha do colaborador. Outra situação negativa é investir na gestão horizontal e quando o funcionário toma uma decisão, a empresa o repreende de alguma maneira.

É preciso investir na orientação do público interno para que ele entenda a missão da organização e invista sempre em atingir os melhores resultados. Por isso, mesmo que a decisão não seja a mesma do dono da empresa, é preciso que o funcionário saiba que ela será respeitada.

A gestão horizontal é uma tendência que está dando certo para diversas empresas que querem ter uma boa vantagem competitiva. No entanto, para aplicá-la dentro da sua empresa é preciso avaliar a cultura e, aos poucos, implementar esse modelo de gestão que pode trazer diversos resultados satisfatórios.

O que você achou do modelo de gestão horizontal? Será que dá certo na sua empresa? Se você gostou do nosso conteúdo, aproveite para assinar a nossa newsletter agora mesmo! Dessa forma, você fica por dentro das principais novidades e tendências no mundo da gestão de pessoas!

[rock-convert-cta id=”1736″]